tese renato alves de oliveira Esalq Log

Tese Renato Alves De Oliveira Esalq Log-Free PDF

  • Date:22 Sep 2020
  • Views:0
  • Downloads:0
  • Pages:217
  • Size:1.34 MB

Share Pdf : Tese Renato Alves De Oliveira Esalq Log

Download and Preview : Tese Renato Alves De Oliveira Esalq Log


Report CopyRight/DMCA Form For : Tese Renato Alves De Oliveira Esalq Log


Transcription:

Renato Alves de Oliveira,Engenheiro Agr nomo, Planejamento da convers o do caf convencional para o org nico um estudo de caso. Orientador,Prof Dr JOS VICENTE CAIXETA FILHO, Tese apresentada para obten o do t tulo de Doutor em. Ci ncias rea de Concentra o Economia Aplicada,Piracicaba. Dados Internacionais de Cataloga o na Publica o,DIVIS O DE BIBLIOTECA ESALQ USP. Oliveira Renato Alves de, Planejamento da convers o do caf convencional para o org nico um estudo de.
caso Renato Alves de Oliveira Piracicaba 2012, Tese Doutorado Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz 2012. 1 Agricultura org nica 2 Caf 3 Plano de convers o 4 Programa o linear. CDD 633 73, Permitida a c pia total ou parcial deste documento desde que citada a fonte O autor. DEDICAT RIA,Dedico ao meu pai Valdeci Alves de Oliveira. Um homem batalhador,e que sempre apoiou moralmente os filhos. Tenho muito orgulho de ser seu primog nito,AGRADECIMENTOS.
Primeiramente agrade o a Deus pela vida que me deste. minha esposa Jacqueline de Brito Moraes e filha Ra ssa Brito Alves de Oliveira pelo. amor carinho companheirismo compreens o e respeito. Aos meus pais Valdeci Alves de Oliveira e Regina C lia Alves de Oliveira e aos meus. irm os Renner Alves de Oliveira e Renan Alves de Oliveira. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz ESALQ USP pela oportunidade de. realizar o curso de Doutorado, CAPES pela obten o da bolsa de estudos e realiza o do est gio atrav s do Programa de. Aperfei oamento de Ensino PAE, Aos amigos e colegas de turma pela amizade uni o e conv vio em especial ao amigo. Alexandre Hattnher Meneg rio, Aos funcion rios do Departamento em especial Maielli pela enorme aten o aos alunos. Aos membros da banca pela contribui o ao trabalho realizado. Ao orientador Jos Vicente Caixeta Filho pela aceita o ao tema escolhido para. desenvolvimento da Tese pela realiza o do est gio doc ncia atrav s da disciplina. Transporte e Log stica no Sistema Agroindustrial e pela oportunidade de participar do. Grupo de Pesquisa e Extens o em Log stica Agroindustrial. Ao cafeicultor Manoel Carlos Gon alves pela gentileza e pelo fornecimento das informa es. t cnicas para produ o de caf do S tio Terra Verde,N o basta saber preciso aplicar. n o basta querer preciso fazer,Goethe escritor alem o 1749 1832.
ABSTRACT 15,RESUMEN 17,LISTA DE FIGURAS 19,LISTA DE TABELAS 27. LISTA DE QUADROS 29,1 INTRODU O 31,1 1 Problema e justificativa 31. 1 2 Objetivos 32,1 2 1 Objetivo Geral 32,1 2 2 Objetivos espec ficos 32. 1 3 Estrutura do trabalho 33,2 AGRICULTURA ORG NICA AO 35. 2 1 A Certifica o de Produtos Org nicos 38, 2 2 Mecanismos de garantia de qualidade org nica 42.
2 3 Do Convencional para o Org nico o processo de convers o 43. 2 3 1 A convers o 43, 2 3 2 Convencional versus Org nico por que converter 46. 2 4 Agricultura Org nica no Mundo 54,2 4 1 Panorama Internacional 54. 2 4 2 Panorama Nacional 58,3 A IMPORT NCIA DA CAFEICULTURA 67. 3 1 Origem e sua hist ria 67,3 2 Caracter sticas inerentes da cafeicultura 70. 3 3 Vis o panor mica da cafeicultura mundial 72,3 4 Vis o panor mica da cafeicultura nacional 74.
3 5 Cafeicultura Org nica 78,3 5 1 Defini o e Caracter sticas 78. 3 5 2 Panorama da cafeicultura org nica mundial 85. 3 5 3 Panorama da cafeicultura org nica nacional 87. 3 5 4 Estudos voltados cafeicultura org nica 91,4 ARCABOU O TE RICO 95. 4 1 Mudan a Tecnol gica 95,4 2 Teoria da Firma 98,4 2 1 Linha de Isoquanta 98. 4 2 2 Linha de Isocusto 100,4 2 3 Combina o tima dos fatores 100. 4 2 3 1 Minimiza o de Custo 100,4 2 3 2 Maximiza o do Lucro 102.
4 2 4 Modelos Lineares 103,4 3 A Programa o Linear PL 106. 4 3 1 Modelo em Pesquisa Operacional 106,4 3 2 Conceito da Programa o Linear 108. 4 3 3 Programa o Linear no sistema agropecu rio 109. 5 METODOLOGIA 113,5 1 Material 113, 5 1 1 Descri o e situa o econ mica do S tio Terra Verde 113. 5 1 2 Procedimento de Convers o para o caf org nico no S tio Terra Verde 118. 5 1 2 1 Plano de manejo 118, 5 1 2 2 Caracteriza o dos par metros incorporados ao plano de manejo 121. 5 1 2 2 1 Fator Pre o 121,5 1 2 2 2 Fator Produtividade 121.
5 1 2 2 3 Fator Custo 122,5 2 M todo 122,5 2 1 Esquema do modelo proposto 122. 5 2 2 Constru o matem tica do modelo de Programa o Linear 123. 5 2 3 Cen rios 129,6 RESULTADO E DISCUSS O 133,6 1 An lise 1 133. 6 1 1 Cen rio sem otimiza o CS1 133,6 1 2 Cen rio C1 136. 6 1 3 Cen rio C2 138, 6 1 4 Compara o do sistema convencional SC aos cen rios CS1 C1 e C2 141. 6 2 An lise 2 150,6 2 1 Cen rio sem otimiza o CS2 150.
6 2 2 Cen rio C3 152,6 2 3 Cen rio C4 154, 6 2 4 Compara o do sistema convencional SC aos cen rios CS2 C3 e C4 157. 6 3 An lise 3 163,6 3 1 Cen rio sem otimiza o CS3 163. 6 3 2 Cen rio C5 165,6 3 3 Cen rio C6 168,7 CONCLUS O 179. REFER NCIAS 181,GLOSS RIO 191,AP NDICES 193,ANEXOS 205. Planejamento da convers o do caf convencional para o org nico um estudo de caso. A Agricultura Org nica oferece ao mercado consumidor produtos isentos de agentes. qu micos Os produtores que fazem uso do sistema convencional e estiverem interessados em. adotar a tecnologia org nica de produ o dever o se credenciar junto ao Minist rio da. Agricultura atrav s de uma certificadora de produtos org nicos A certifica o pode ser por. auditoria ou participativa mas para receb la o agropecuarista deve seguir as normas e. procedimentos estabelecidos pela legisla o brasileira de produtos org nicos Um dos. procedimentos o processo de convers o ou transi o pelo qual a atividade agr cola em. manejo convencional muda para o manejo org nico O tempo de transi o pode variar de 12 a. 18 meses no m nimo de acordo com a esp cie vegetal ou animal e pelo hist rico da unidade. produtiva No caso do caf a convers o do sistema convencional para o org nico pode trazer. consigo entre outros benef cios a independ ncia de insumos externos menor risco para a. sa de e pode proporcionar maior lucro ao produtor Esta pesquisa tem como objetivo. desenvolver um planejamento de produ o do caf para o processo de convers o da t cnica. convencional para a org nica no S tio Terra Verde em Esp rito Santo do Pinhal no estado de. S o Paulo Utilizou se a metodologia de programa o linear para maximizar o lucro e. minimizar o custo de produ o do caf em seis cen rios O plano de convers o foi de oito. anos respeitando a bienalidade do cafeeiro passando por tr s fases de manejo substitui o de. insumos convers o e produ o org nica Foram realizadas tr s an lises sobre o planejamento. de convers o Os resultados da primeira an lise mostraram que a ado o da t cnica org nica. proporcionou ao cafeicultor lucros superiores aos do sistema convencional no final do per odo. de convers o quando ocorre aumento sobre o pre o da saca Os cen rios da segunda an lise. identificaram uma situa o de preju zo ao cafeicultor no 4 ano do planejamento e uma. condi o econ mica desvantajosa em rela o ao sistema convencional pois o lucro geral foi. inferior devido redu o da produtividade at o final da convers o A terceira an lise. apresentou uma situa o em que o produtor n o recebe o incremento sobre o pre o da saca de. caf quando em manejo org nico o que levou obten o de resultado desvantajoso ao. produtor no qual o lucro geral do sistema org nico foi muito baixo em rela o ao do sistema. convencional Conclui se que especificamente para o S tio Terra Verde pode ser. economicamente vi vel a ado o da produ o org nica na cultura do caf mas com extrema. depend ncia do diferencial do pre o entre os sistemas convencional e org nico. Palavras chave Agricultura org nica Caf org nico Plano de convers o Programa o linear. Oliveira Renato Alves de Planejamento da convers o do caf convencional para o org nico um estudo de caso Renato Alves de Oliveira Piracicaba 2012 215 p il Tese Doutorado Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz 2012 1 Agricultura org nica 2 Caf 3 Plano de convers o 4 Programa o linear I T tulo CDD 633 73 O48p Permitida a c pia total ou

Related Books